PREFEITURA DE FUNDÃO, INSTITUTO IEMA E UFES, ASSINAM PROTOCOLO DE INTENSÕES PARA DESENVOLVER ATIVIDADES ASTRONÔMICAS NA ÁREA AMBIENTAL DO GOIAPABA-AÇU. (19/08/2019)

A Prefeitura Municipal de Fundão, por meio da Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente em parceria com o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA), a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) assinaram na última quinta-feira (15), um protocolo de intenções para o desenvolvimento de atividades astronômicas na Área de Proteção Ambiental (APA) Goiapaba-Açu. O ato de assinatura aconteceu no gabinete da Prefeitura e contou com a presença do Prefeito Pretinho; do Subsecretário de Meio Ambiente - Renato Armini; do Subsecretário de Educação - Daniel de Jesus Ferreira; do Gerente Municipal da Defesa Civil - Valfran Nunes, além do Engenheiro do IEMA- David Viegas Casarin; do Diretor-presidente do IEMA - Alaimar R. Rodrigues Fiuza; do Professor da UFES - Júlio César Fabris; do Gerente de Recursos Naturais do IEMA - José de Aquino Machado Júnior, além do Representante do Núcleo de Apoio do IEMA aos Municípios - Maurício José A. Castro e da Assessora de Comunicação do IEMA- Flávia Fernades.   

Desde a criação da APA, em 1994, existia a ideia de se desenvolver um observatório astronômico no pico do Goiapaba-Açu. A proposta, no entanto, só começou a sair papel em maio deste ano.

“Esse protocolo de intenções marca o início da relação para começarmos a desenvolver atividades que sejam de interesse comum no parque municipal, da APA e das instituições de pesquisa”, explica o engenheiro agrônomo e agente de Desenvolvimento Ambiental e Recursos Hídricos do IEMA, David Viegas Casarin.

Na região, existe o Parque Municipal Natural e o pico do Goiapaba-Açu, além da APA, que é uma Unidade de Conservação de uso sustentável estadual. Uma das intenções do IEMA é unir a educação ambiental com atividades de astronomia.

“Uma das questões que se pode trabalhar é a observação astronômica e sua relação com a intensidade da luz nas cidades. Então, a gente consegue discutir, por exemplo, a luz da Grande Vitória e a poluição visual com relação à observação dos astros”, ressalta Casarin.

Desenvolvimento de atividades

A intenção do IEMA é levar alunos das escolas municipais e estaduais, como também alunos de graduação e pós-graduação da UFES e do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) para desenvolvimento de atividades relacionadas à astronomia. O observatório astronômico do Goiapaba-Açu, previsto no decreto de criação da APA, ainda não está funcionando, mas a intenção é começar a realização de atividades, como observação de chuva de meteoros ou observação de astros. O IEMA entra com o apoio institucional na parceria com a UFES e Prefeitura de Fundão.

Para o professor do Departamento de Física e coordenador do programa de pós-graduação em Astrofísica, Cosmologia e Gravitação da UFES, Júlio César Fabris, a proximidade do Goiapaba-Açu com Vitória, em torno de 60 quilômetros, é um grande incentivo.

“A ideia desse protocolo de intenções é a criação de um núcleo científico, usando a estrutura, vantagens logísticas e de localização geográfica. Temos a intenção de transformar o local em um polo científico na área de astronomia, mas também em biologia, educação ambiental e outras atividades que poderão ser desenvolvidas”, definiu o professor.

O diretor-presidente do IEMA, Alaimar Fiuza, ressaltou o envolvimento com a comunidade local. “Quanto mais parceiros tivermos percebendo o valor da APA, mais gente vai cuidar. A gente precisa da sinergia da comunidade do entorno e esse protocolo de intenções é um exemplo disso. Uma Unidade de Conservação, no nosso entendimento, é um ativo da sociedade e não só do IEMA ou de algum órgão ambiental, pois tem valor científico, valor para o turismo e até mesmo para o empreendedorismo”, reforçou o diretor-presidente.

O Prefeito de Fundão, Pretinho Nunes, falou da importância da parceria com a UFES e o IEMA. “É mais um passo para melhorias no nosso município, principalmente no acesso ao Goiapaba-Açu. Assim, as pessoas saberão, na prática, as ações de educação ambiental para o respeito ao meio ambiente”.

Saiba mais:

Área de Proteção Ambiental (APA) Goiapaba-Açu – Foi criada pelo decreto estadual nº 3.796-N, em 1994. Tem área aproximada de 3.740 hectares. Está localizada entre a região montanhosa e a baixada litorânea. Há registro de 133 espécies de aves, sendo duas ameaçadas de extinção (Campephilus robustus e Procnias nudicollis). O potencial de conectividade dos fragmentos florestais em seu entorno como a Reserva Biológica Augusto Ruschi, Estação Biológica de Santa Lúcia e Parque Natural Municipal de São Lourenço, torna a área relevante para a formação do Corredor Ecológico Centro Norte Serrano.

Parque Municipal do Goiapaba-Açu – Está localizado no distrito de Irundi, município de Fundão, no limite com o município de Santa Teresa. Tem trilhas e mirante e abriga o Pico do Goiapaba-Açu, que tem 850 metros de altura.

Maiores informações através da Subsecretaria de Meio Ambiente.     

 Telefone: (27) 3267-1276 / E-mail: meioambiente@fundao.es.gov.br